Somos Todos Alexia Dechamps

A Associação Viva Bicho repudia veementemente a forma como os ativistas foram agredidos na Câmara dos Deputados no último dia 25/10 e apoia integralmente Alexia Dechamps. DEPUTADO AGRIDE ATRIZ Eu, Alexia Dechamps, repudio a atitude do deputado Pedro Vilela, do PSDB alagoano, de atribuir a mim palavras desrespeitosas contra o povo nordestino durante audiência pública sobre a regulamentação da vaquejada. Mais do que isso, abomino sua postura oportunista de aproveitar-se de um falso embate com uma pessoa pública, atriz profissional, para conseguir mídia fácil e destacar-se diante de seu eleitorado. O parlamentar, além de deturpar minhas palavras, me ofendeu, tentou humilhar e constranger, chegando a dirigir-se ao plenário da Câmara pedir que a Procuradoria da Casa me processe. Não sabe o Sr. Deputado que não me curvo a ameaças, que o tempo de mulheres indefesas e submissas é passado e que antes que siga com sua infâmia eu o estarei chamando a prestar contas de suas palavras perante os tribunais. No intenso debate que acontecia entre os que defendiam a vaquejada como atividade econômica, geradora de empregos, e os que, como eu, afirmávamos que nenhum trabalho pode se basear em maus tratos a animais indefesos, defendi que o correto seria…

CULTURA? QUAL?

CARLOS AYRES BRITTO* – O ESTADO DE S.PAULO 24/07/2016 | 03h00 … mão na própria cabeça já não cola. É ideia morta que urge enterrar     A Constituição brasileira e os dicionários da língua portuguesa conferem múltiplos significados à palavra “cultura”. Escolho um. O significado em que tanto ela quanto eles coincidem: cultura é hábito de toda uma coletividade humana. Hábito que uma geração vai transmitindo às demais por um modo tão prolongado que sua origem se perde no tempo. Do que decorre a sua caracterização como costume ou tradição. Como fenômeno que se dota de força normativa suficiente para influenciar comportamentos individuais e até certo ponto plasmar o modo coletivo de ser e de agir. Logo, o termo cultura como designativo de fábrica ou forja da pré-compreensão das coisas. Mas há uma diferença de qualidade. Os dicionários têm como expressão de cultura todo e qualquer arraigado hábito coletivo. Não a Constituição brasileira. Quero dizer: para os dicionários da língua portuguesa, a palavra cultura não é excludente de um tipo de tradição ou costume objetivamente malfazejo para o corpo social.  Intrinsecamente ruim para o que se poderia chamar de centralidade ou autoestima coletiva no ponto. Hábito inescondivelmente reprovável em…

Vamos conhecer os Senadores que Defendem a Vaquejada

Eunício Lopes de Oliveira (Lavras da Mangabeira, 30 de setembro de 1952)[1] é um político, agropecuarista e empresário brasileiro, filiado ao Partido do Movimento Democrático Brasileiro (PMDB). Foi ministro das Comunicações no governo Luiz Inácio Lula da Silva, de 23 de janeiro de 2004 a 14 de julho de 2005.[1] Deputado federal por três mandados, Eunício foi eleito Senador da República, em outubro de 2010, com 2.688.833 votos. Eunício foi citado pelo senador Delcídio do Amaral em envolvimento corrupção nos termos da delação premiada na Operação Lava Jato homologada em 15 de março de 2016 pelo Supremo Tribunal Federal (STF).[3] Recentemente, foi citado pelo  ex-deputado federal Eduardo Cunha, como um dos beneficiados pelo esquema de corrupção da Petrobrás. É defensor da Vaquejada , bem como das crueldades e maus tratos praticados contra os animais. Facebook

Vamos conhecer os Senadores que Defendem a Vaquejada

Eunício Lopes de Oliveira (Lavras da Mangabeira, 30 de setembro de 1952)[1] é um político, agropecuarista e empresário brasileiro, filiado ao Partido do Movimento Democrático Brasileiro (PMDB). Foi ministro das Comunicações no governo Luiz Inácio Lula da Silva, de 23 de janeiro de 2004 a 14 de julho de 2005.[1] Deputado federal por três mandados, Eunício foi eleito Senador da República, em outubro de 2010, com 2.688.833 votos. Eunício foi citado pelo senador Delcídio do Amaral em envolvimento corrupção nos termos da delação premiada na Operação Lava Jato homologada em 15 de março de 2016 pelo Supremo Tribunal Federal (STF).[3] Recentemente, foi citado pelo  ex-deputado federal Eduardo Cunha, como um dos beneficiados pelo esquema de corrupção da Petrobrás. É defensor da Vaquejada , bem como das crueldades e maus tratos praticados contra os animais. Facebook

NÃO EXISTE BOI DE VAQUEJADA 

Recebemos há pouco esta carta: “Tudo bem? Estou acompanhando seu engajamento na questão do banimento da vaquejada, mas, infelizmente não posso me manifestar da maneira como gostaria no face pois conheço muita gente do meio e vou acabar perdendo amigos de quem eu gosto muito. Entretanto, queria ajudar com uma informação. Tenho visto recentemente a comunidade pró vaquejada argumentando com fotos comparando o gado de vaquejada com o gado magro do sertão.  Pois bem, deixe eu lhe dizer uma coisa: NÃO EXISTE GADO DE VAQUEJADA BEM TRATADO E GORDO. O GADO UTILIZADO NAS VAQUEJADAS EH GADO DE CORTE! Explico: o boi que participa da vaquejada acaba por entender a sistemática da coisa com o tempo. Ele sabe que será derrubado, que sentirá dor e pavor. Então, depois de algumas corridas, o gado APRENDE a não correr. Ele simplesmente não corre do cavalo, ou se “escora” na cerca, tornando assim difícil a puxada. Esse gado é o chamado gado “viciado” na linguagem dos vaqueiros, razão pela qual ele não pode ser utilizado em muitas corridas. Na pratica, o boi corre 2,3 vezes e “aprende”. O gado de vaquejada tem sim que ser gordo, pois as diversas fazes do torneio vão aumentando…

Relato registrado sobre Vaquejada

Relato registrado pelo Projeto Esperança Animal (PEA), OSCIP cuja finalidade é a “proteção ao meio ambiente e à biodiversidade”, demonstra a crueldade a que são submetidos os bois das vaquejadas. Trecho inserido na Petição Inicial da Procuradoria da República na ADI 4983 julgando a lei cearense que tentava regulamentar esta atividade. O Relato Chegamos por volta das 20:40h. Nas estrada já havia placas indicando onde seria a vaquejada. Chegando no local, havia uma fila de carros para entrar no Parque da Vaquejada. A entrada era franca, só pagamos o estacionamento que ficou em R$ 10,00. Logo que entramos no “parque” já demos de cara com algumas carretas repletas de bezerros e bois. Havia charretes e cavalos soltos. A maioria das pessoas eram do sexo masculino. As poucas mulheres que haviam por lá ou trabalhavam nas barracas que vendiam, em sua maioria, bebidas alcoólicas e churrasco, ou estavam acompanhadas. Chegamos perto do brete. Diversos animais misturados e com aparência assustada. Um vaqueiro começou a “tocá-los com um pedaço de pau” para a fila que daria acesso para a arena. O espaço apertado permitia apenas um boi por vez. Ali os animais eram avaliados. Quando tinham chifres, seus chifres eram serrados com…

CONFEDERAÇÃO DE DEFESA ANIMAL DO BRASIL ANUNCIA REPUDIO A ATO PARLAMENTAR DO SENADOR ELEITO PELO CEARÁ

CARO SENADOR EUNÍCIO OLIVEIRA –  Sou presidente da Confederação de Defesa Animal do Brasil, representamos centenas de organizações inclusive de seu estado e cuja amostra populacional soma 35% de qualquer base eleitoral que inclui a de V. Excelência. Manifestamos REPÚDIO à sua proposta ilegal e fora de hora, desastrada do ponto de vista político pós eleições e pós decisão do STF, em apoiar vaquejadas a qual repudiamos, perplexos com o vício que o Senado e a Câmara têm de se dedicarem às agendas negativas e cruéis.  Entendemos que muitos anos nos frios gabinetes de papéis de celulose desumanizam agentes públicos. Alertamos que Vossa Excelência está ignorando uma ilegalidade de uma prática comprovadamente CRUEL em laudos técnicos e imagens à exaustão disponíveis nas redes.Considerando que teve conhecimento da decisão da Corte Suprema, é grave insistir nesse discurso vexaminoso e ilegal. Informamos que estamos denunciando cada parlamentar junto ao MP Federal que insiste em se manifestar em suas redes e no plenário em favor do crime ambiental. V. Excelência sabe que em último caso, nessa batalha, seu foro privilegiado o levaria ao STF, o mesmo tribunal que decidiu pela proibição da prática, e que lá V. Excelência seria certamente derrotado, não sabe?…

Ativistas lançam Portal contra Empresas que patrocinam Rodeios e Vaquejadas

Grupo de Ativistas ligados aos defensores dos animais lançam o BPA- Boicote pelos Animais. O Portal tem o objetivo de informar ao público consumidor as empresas e seus produtos patrocinadores de Rodeios e Vaquejadas. No último dia 06 de Outubro o Supremo Tribunal Federal criminalizou a Vaquejada. Apesar disso, políticos financiados por empresários destes eventos iniciaram uma série de ofensivas contra a decisão dos Ministros, apesar de ser irrecorrível. De onde vem o dinheiro que patrocina tudo isso? – ponderou um ativista , ex-participante de eventos de vaquejada que não quis se identificar por medo de represálias . O Portal BPA já iniciou a divulgação das empresas que patrocinaram o Rodeio de Barreto, um dos maiores da categoria, e pedem que as pessoas deixem de consumir os produtos destas empresas. Algumas delas: Bobs, Rede Graal, Unimed, Tim, Brahma. Facebook